domingo, 18 de abril de 2010

E viva as redes sociais!

Falam-se de gatos perdidos e jantaradas animadas, mas a culpa disto tudo é das redes sociais. Não vou negar, sou um dos milhões de utilizadores das vastissimas redes sociais, mas revejo-me mais como um analista que faz parte delas do que um membro activo. (Gosto da expressão "membro activo", creio que ao longo da minha vida irei repeti-la mais vezes!)

Elas têm vantagens que são verdadeiramente inovadoras e em um caso ou outro, realmente são ajudas muito boas na vida de alguns. Falo por mim que sem aquela ferramente "socialite" que é o Facebook, não entraria em contacto com alguns amigos. Só que há cada fenómeno mais bizarro ligado a elas que muitas vezes pergunto-me "como é possivel isto?" Assim de cabeça, lembro-me do caso daquele puto no Reino Unido que levou a familia à falência por causa do FarmVille - adoraria ser pai dessa criança durante aqueles segundos em que descubriram a grande noticia, agora poderiam ter legumes até ao final da vida deles lá na quinta, mas iam colhe-los no PC com ligação à Internet ali debaixo duma ponte qualquer - ou então a bela cena da MariLuz, seja lá como a dita fedelha se chama, a bater na "coleguita" devido a uma alegada visita a um perfil do hi5 de um senhor que deveria estar a contribuir para a construção de mais duas figuras de urso, naquele caso ursas. Penso que há limites para tudo, mas as pessoas exaltam-se com estas coisas e cometem excessos deprimentes (mas que são ouro para gajos como nós que inventámos umas graçolas jeitosas).

Lembro-me agora que há uns aninhos atrás, Inverno de 2001 na bela cidade de São Mamede Infesta, estava eu e mais um antigo compincha dos tempos do básico à espera do autocarro para irmos para casa. Chovia a potes e não dava sinais de parar a chuva ou que o raio do transporte público chegasse e, para sorte de nós os dois, um projecto de homem que, segundo ele, tinha 17 anos, começou a falar connosco do nada sobre uma aventura dele nas redes sociais, nomeadamente o hi5, rei do "socialite" cibernaútico da altura. Contou-nos a história da Mafalda, uma miúda que, e passo a citar, tinha "uma prateleira bem boa e uma cara bonita. Só que a badalhoca afinal era gorda e tinha mostrado uma foto diferente!"

Pensem nestas coisas quando se inscreverem numa rede social e, assim para final, vejam esta ironia: tanta coisa sobre as redes sociais, mas temos uma página no Facebook. Somos realmente verdadeiros vendidos!

Etiquetas:

3 Comentários:

Às 18 de abril de 2010 às 14:57 , Anonymous A Suspeita do Costume disse...

Isto faz-me lembrar de queaí há uns tempos ensinei os meus progenitores a jogar Farmville...



... nunca me arrependi tanto na vida.


(Ontem quando me deitei, não conseguia dormir porque ouvia memés e mus a vir do escritório. Os meus pesadelos de criança ganharam vida.)

ASDC.

 
Às 20 de abril de 2010 às 21:28 , Blogger David Salvador disse...

lol mais engraçado disto tudo são os grupos extremamente parvos do fu... desculpem facebook!

 
Às 24 de abril de 2010 às 14:04 , Anonymous Sissi disse...

André, inspira-te e encontra-te :P fraquinho xD

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial